Carlos e Perla, naturais da Venezuela, empreendedores em Vacaria (RS)

Design e Arte

Carlos e Perla

Garantir mais oportunidades e qualidade de vida para a filha caçula. Esse foi o principal motivo que levou o casal Perla e Carlos a sair do país de origem, Venezuela, onde enfrentavam dificuldades econômicas em 2019. Eles vieram ao Brasil em novembro, quando Perla estava grávida de 36 semanas. Passaram um período em um abrigo de Boa Vista até Carlos conseguir um emprego na colheita de maçã em Vacaria, no Rio Grande do Sul, por meio da Operação Acolhida, força-tarefa humanitária executada e coordenada pelo Governo Federal com o apoio do ACNUR. O casal - já com a pequena nos braços e o filho mais velho - se mudou para a cidade de 66 mil habitantes, que fica a 230 quilômetros da capital Porto Alegre.

Carlos passou alguns meses trabalhando em meio às macieiras e depois atuou em silos de grãos da região por três meses, porém, o salário não era suficiente para manter a família. Neste cenário de desafios, o casal teve uma ideia para começar a empreender. “Na Venezuela, nunca empreendemos, éramos empregados. No Brasil, com a pandemia, vimos que as pessoas estavam fazendo festas mais intimistas, então começamos com cestas de aniversário e balões personalizados. A cidade ainda não tinha esse serviço e vimos uma boa oportunidade”, conta Perla.

Como não tinham experiência na área, Perla assistia a vídeos no Youtube para aprender a estampar balões. Com o dinheiro que conseguiram economizar, compraram equipamentos próprios, como a máquina para estampar e computador. Assim, não precisaram mais terceirizar e faziam o serviço completo. Em homenagem aos três filhos, foi dado o nome do negócio: SG Balões, com as iniciais das crianças.

Durante um ano, o empreendimento funcionou no apartamento da família. “Como era pandemia, às vezes era difícil vender. Na cidade também faz bastante frio e tivemos que nos acostumar. Mas nos adaptamos e agora já trouxemos também um primo e um irmão de Carlos para morar em Vacaria”, explica Perla.

Mesmo com os obstáculos, o negócio conquistou clientes e ampliou a gama de produtos. Atualmente, depois de dois anos no mercado, a SG Balões também vende topo de bolo, presentes, arranjos e decorações para festas. Para se profissionalizar ainda mais, o casal passou por cursos de empreendedorismo voltado a migrantes do CIBAI Migrações, Agência Besouro e Empretec/Sebrae e tiveram o apoio do CEIDEC - Centro de Integração e Desenvolvimento Nossa Senhora das Graças.

E eles ainda têm muitos planos para o empreendimento. Entre as metas está expandir a atuação para o ramo corporativo, com lembranças e itens personalizados para empresas. “Pouco a pouco vamos crescendo. O negócio significa muito para nós, nunca vamos desistir. Afinal, foi algo que custou muito para chegar onde chegamos. E com ele conseguimos dar uma vida melhor para nossos filhos, que era nosso plano quando viemos para cá”, finaliza Perla.

(Texto incluído na plataforma em Junho de 2022)