Gabier e Alba, naturais da Venezuela, chefs em Belém

Gastronomia

Gabier e Alba

Gabier chegou ao Brasil para representar seu país. Ele veio para Belém do Pará em 2014, com a missão de ser vice-cônsul da Venezuela. Seu afastamento do cargo se deu por motivos políticos. “Com a piora da situação na Venezuela, o governo começou a tomar atitudes com as quais eu não concordava”, explica ele, que se viu representando um Estado com o qual tinha discordâncias profundas.

Com o tempo, ele conta que a situação no ambiente profissional foi ficando insustentável, e Gabier passou a ser alvo de críticas de pessoas ligadas ao governo. Em 2017, ele se desligou do consulado, mas sentiu medo de voltar ao país natal. “Senti temor de voltar para a Venezuela porque fiz questionamentos, críticas e denúncias de corrupção, coisas que na atual dinâmica do país são impensáveis de fazer”, explica ele, que inicialmente pensava em voltar para a Venezuela e trabalhar como professor universitário.

Com os planos de retornar para o país natal desfeitos, Gabier e sua esposa, Alba, começaram a buscar emprego em Belém, mas contam que tiveram dificuldades em se recolocar no mercado, mesmo sendo profissionais qualificados. “Nesse momento resolvemos pôr em prática uma ideia que tínhamos há tempo, abrir um espaço onde pudéssemos exaltar a cultura latina”, relata Gabier, que inicialmente pensava em empreender apenas quando voltasse à Venezuela. Surgia então o Siguaraya Gastronomia e Cutlura Latina.

Inaugurado em 2018, o local oferece além da gastronomia latino caribenha, uma playlist cuidadosamente escolhida para que o cliente se sinta, de fato, no Caribe. “Nosso cardápio tem muitas comidas típicas, mas também alguns pratos tradicionais, como hambúrguer e batata frita”, explicam os empreendedores, que pensaram em oferecer opções variadas para proteger o negócio, caso a culinária proposta não fosse bem recebida pelo público de Belém. A aceitação dos pratos típicos surpreendeu o casal, que conta que os maiores sucessos do Siguaraya são as arepas com recheios como fraldinha e queijo e o patacón, prato feito a base de banana verde, com acompanhamentos diversos.

Por se tratar de uma experiência completa que vai além da gastronomia, Gabier conta que a pandemia de Covid-19 impôs dificuldades significativas ao negócio. “Nem todas as comidas se encaixam no esquema do delivery, e nosso foco sempre foi a experiência no local”. Mesmo assim, eles se ajustaram à nova realidade, fazendo entregas e, com a autorização para reabertura, voltaram a funcionar com menos de 50% da capacidade original e obedecendo a todos os protocolos.

Para 2021 os empresários estão cheios de planos, e pretendem alugar um espaço maior com uma cozinha mais ampla para atender mais clientes. Além disso, o cardápio do restaurante deve ser ampliado. Uma das novidades para 2021 já está em andamento, e se trata de um cronograma gastronômico, publicado semanalmente no Instagram do empreendimento. “Nossa ideia é aproximar as pessoas de Belém da cultura latina em geral, por meio da gastronomia e da musica”.

(Texto produzido em Fevereiro de 2021)