Luísa, natural da Venezuela, confeiteira em Belo Horizonte

Gastronomia

Luísa

Luísa chegou ao Brasil, com o marido e dois filhos, em 2018. A dificuldade em encontrar empregos em Boa Vista fez com que a família fosse para Belo Horizonte, por meio da estratégia de interiorização do governo federal.

Na Venezuela, ela trabalhava como assistente administrativo em um restaurante. Ela conta que desde 2014 a família já pensava em deixar o país, por causa do agravamento da crise. “A situação estava muito ruim, faltava comida e outros recursos, e vimos que não havia mais futuro para os nossos filhos”, explica a matriarca. Seu esposo e seu filho trabalhavam com mecânica aeronáutica e, mesmo assim, a renda familiar já não era suficiente para que eles terminassem o mês.

Luísa conta que encarou a chegada ao Brasil como um novo começo e, por isso, resolveu empreender. Ela sempre gostou de cozinhar, e aqui no Brasil passou a usar o hobby também como uma maneira de matar as saudades do país de origem. “Um dia meu marido disse que estava com vontade de comer um quitute da Venezuela, e eu preparei golfeado para ele”, conta Luísa. O golfeado é um tipo de pão doce temperado com rapadura, erva doce e queijo.

O crescimento do empreendimento de Luísa foi orgânico, e contou com a propaganda de amigos, que provavam as delícias preparadas pela talentosa confeiteira, e divulgavam seus serviços para outras pessoas. Em setembro de 2020, depois de fazer um curso da SJMR (Serviço Jesuíta a Miagrantes e Refugiados) sobre empreendedorismo e de participar de uma série de palestras do SEBRAE, ela abriu a Dulcissimo Confeitaria em parceria com a filha.

O principal de canal de divulgação de seus produtos é o Instagram, e ela recebe a maioria das encomendas – que produz em sua casa no bairro Coqueiros – via Whatsapp. No cardápio estão golfeados e pães salgados de calabresa, bacon, alho com queijo e outros sabores. As duas também produzem deliciosos bolos caseiros de sabores como morango, quatro leites cookies e banana.

Atualmente, a empresária já conta com o negócio formalizado, e pretende expandir o empreendimento para que ele seja conhecido em toda a cidade em 2021. “Quero que mais gente conheça os sabores da Venezuela, que misturo com os sabores brasileiros em uma junção das duas culturas”, define a persistente empreendedora.

(Texto produzido em Fevereiro de 2021)