Maria Fernanda, natural da Venezuela, chef em Manaus

Gastronomia

Maria Fernanda

Formada em Engenharia de Segurança de Trabalho e em Farmácia, Maria Fernanda sempre teve na cozinha um hobby. No entanto, ela conta que na Venezuela era difícil transformar sua paixão em empreendimento, por causa da inflação galopante que atingiu o país nos últimos anos.

Maria chegou ao Brasil em 2019, junto com o esposo e três filhos. “Chegamos sem dinheiro, sem saber falar português, mas com muita fé de uma vida melhor”, lembra ela, que deixou a Venezuela motivada pela crise econômica. “Meu esposo tinha um bom emprego, mas com a inflação não tinha como manter as crianças, comprar alimento, bancar os estudos... A situação estava muito complicada”, explica.

Depois de passar por Pacaraima e Boa Vista, a família decidiu viver em Manaus. Quando chegou à cidade, Maria Fernanda trabalhou como diarista e seu marido, que é Engenheiro de Sistemas, conseguiu um trabalho como pedreiro. Foi uma amiga brasileira de Maria Fernanda, que é dona de uma lanchonete na cidade, que a ensinou como preparar empadinhas, um salgado que agrada o paladar dos brasileiros.

Com as lições aprendidas, Maria Fernanda criou a Empadas Maried Am. Até a chegada da pandemia da Covid-19, ela vendia empadinhas na porta de instituições de ensino da capital do Amazonas, ao preço de R$ 2 cada uma, e três unidades por R$ 5. Entre as preferidas dos clientes, Maria Fernanda destaca as de frango e catupiry, presunto e queijo e camarão.

Além das vendas individuais, ela conseguiu criar uma rede de clientes corporativos, que revendem as empadas preparadas por ela. Foi essa rede que fez com que Maria Fernanda conseguisse manter os negócios – mesmo com dificuldades – durante a pandemia. “Foi uma situação muito difícil para nós, mas nunca ficamos desamparados, e sempre buscamos levantar nosso negócio e sair vendendo”, conta ela, que trabalha junto com o marido e com uma filha. Além de atender clientes corporativos, eles vendem empadas sob encomendas e também para eventos.

Mesmo com a retomada das atividades em Manaus, Maria Fernanda conta que os negócios seguem em ritmo lento. Para 2021 ela planeja fomentar o empreendimento e tornar seu produto ainda mais conhecido, mesmo diante das dificuldades. Um dos desafios enfrentados pela empresária tem sido o aumento no valor dos ingredientes – todos de primeira mão – que ela usa para preparar seus produtos. “Mesmo com a alta eu não repassei o aumento para o preço final, pois tenho clientes muito antigos”.

(Texto incluído na plataforma em Junho de 2021)