top of page

Norelis, natural da Venezuela, artesã em Boa Vista-RR

Artesanato

Norelis

Em dezembro de 2023, a venezuelana Norelis conquistou o troféu de segunda colocada na categoria Microempreendedora Individual (MEI) no prestigiado Prêmio Sebrae Mulher de Negócios, superando 4 mil concorrentes em âmbito nacional.

"Foi nesse momento que me vi como uma mulher de negócios no Brasil. Pensei que se eles acreditavam em mim e na minha trajetória, eu também precisava acreditar. Fui a primeira mulher venezuelana a receber um prêmio do Sebrae. No palco, ao receber o troféu, me agradeceram por investir no Brasil, por meio da minha empresa. Você consegue imaginar o que isso significa?", emociona-se ao recordar o reconhecimento.

Norelis acredita estar agora colhendo os frutos plantados ao longo de muitos anos. Ela relembra com carinho seu gosto pela venda, desde a infância, quando ajudava a comercializar as peças da tia artesã. Posteriormente, graduou-se como engenheira industrial, construiu uma carreira de sucesso gerenciando equipes de vendas e, mais tarde, no setor de turismo.

"Comecei a enfrentar ataques de pânico, e o médico recomendou algo para acalmar a mente. O artesanato tornou-se uma terapia para lidar com a ansiedade, a depressão e as perdas que vivenciei na vida", conta.

Em 2019, enfrentando dificuldades na Venezuela, Norelis, acompanhada de sua filha de apenas 11 meses, atravessou a fronteira para o Brasil. Chegou a Boa Vista com apenas três mudas de roupa, 20 dólares, 30 reais e algumas poucas peças de artesanato, mas encontrou o tão esperado recomeço. Inicialmente, vendia artesanato nas ruas até receber a proposta de ter uma loja física no Centro de Artesanato, na capital roraimense. Em 2021, fundou a ProCriArt Awekü, nome que homenageia sua primogênita, que faleceu aos 3 anos.

Para ampliar sua variedade de produtos, Norelis procurou parcerias com artesãos venezuelanos, integrando dessa forma os indígenas da região da Gran Sabana e desenvolvendo um trabalho social. “Assim dando a oportunidade para todos ao criar um meio sustentável através da ProCriArt Awekü. E logo comecei a fazer meu próprio artesanato, criando peças de ecobijuteria e biojoias”, acrescenta.

O empreendimento exibe quadros, obras de arte, acessórios e uma gama de artesanato, além das vendas em feiras.

"O artesanato não tem fronteiras, posso me movimentar e vender para todo o Brasil. Meus planos para o futuro incluem parcerias com hotéis, para expor os produtos, e a venda on-line, além de dar palestras, oficinas e ajudar outras mulheres a superar suas perdas e empreender", almeja a empreendedora, que encontrou no artesanato uma maneira de superar a dor e ser reconhecida.

Assista ao vídeo com a história de Norelis no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=I8yJT7heRek.

(Texto incluído na plataforma em dezembro de 2023)

bottom of page