Amir, natural do Irã, empresário e chef em São Paulo

Gastronomia

Amir

Um dos poucos chefs de cozinha especializados em culinária persa no Brasil, Amir fez do país sua casa há sete anos. “Lembro do meu último dia no Irã, quando abandonei meu carro no aeroporto. Estava triste, porque sou empreendedor e, aos 26 anos, tinha tudo o que um jovem poderia desejar, mas perdi tudo por causa da minha ideologia pela liberdade, que é a minha missão”, conta ele, que estima que cerca de 70% da sua família esteja atualmente em situação de refúgio em vários países, por conta da oposição política ao regime iraniano.

Ele chegou ao Brasil com a esposa, sem falar uma única palavra em português. O primeiro local que Amir morou foi Vitória da Conquista, na Bahia, onde trabalhou em um bar. “As pessoas tentavam conversar comigo e eu não entendia nada, só respondia sim e não”, relembra ele, enquanto fala português perfeitamente.

Depois, os dois foram viver em Belo Horizonte, o que Amir define como uma “revolução” em sua vida. Por lá, ele começou a investir na área da gastronomia persa e também a empreender na área de tecnologia. Amir criou junto com um sócio o Foozi, aplicativo destinado a conectar cozinheiros autônomos com clientes que vivam na vizinhança para a entrega de refeições preparadas em casa. O empreendimento chegou a ser apoiado pelo Google, mas reduziu o ritmo das atividades com a chegada da pandemia do Covid-19.

Atualmente, Amir vive em São Paulo, onde abriu o seu próprio restaurante, chamado Kebab Persa. O empreendimento fica na Avenida Paulista e atende principalmente o público que trabalha e almoça na região. Diante das restrições de circulação impostas pela pandemia, Amir investiu também nos serviços de entrega por meio de aplicativo – onde conta com excelentes avaliações por parte dos clientes.

Foi ele quem fez o planejamento de negócio, montou o cardápio e, atualmente, conduz o empreendimento junto com a esposa. A cozinha é uma paixão antiga do empresário, que começou a cozinhar aos quatro anos e viajou o mundo para conhecer novos sabores e outras formas de cozinhar – conhecendo locais como Tailândia, Malásia, Cingapura, Armênia e Turquia.

Entre as delícias servidas no Kebab Persa destaca-se o churrasco, apresentado em quatro tipos aos clientes. “O kafta do Irã é diferente, feito no espeto de aço”, detalha Amir. Também são oferecidas opções vegetarianas, típicas do norte do Irã, e veganas. É no chamado prato do dia que a mistura de sabores fica ainda mais evidente: “Pegamos referências do Irã e adaptamos ao paladar e ao mercado brasileiro, pois não estamos e nem podemos ficar amarrados por causa da matéria prima”, detalha Amir, que serve feijoada persa [preparada com carne bovina, molho de ervas verdes e feijão vermelho] e frango com molho de jabuticaba e castanha do Pará.

Além da experiência gastronômica, quem chega ao restaurante de Amir também recebe uma verdadeira aula sobre a cultura persa. “Aqui tenho livros, fotos, histórias. Os brasileiros têm os braços abertos e estou tentando apresentar a nossa cultura e culinária por aqui.”

Engenheiro de formação, Amir descreve a vida de empreendedor como dinâmica, apesar das dificuldades. “Cada dia que você acorda, você tem uma ideia.” Para o futuro, ele planeja estagiar em restaurantes no exterior, e também abrir um novo restaurante, dessa vez com uma proposta diferente do Kebab Persa. “No Irã, a gente tem uma frase que diz que os 100 primeiros anos são os mais difíceis. Eu já passei por 37, faltam agora 63”, finaliza ele, sobre os desafios que enfrenta todos os dias.

(Texto incluído na plataforma em Julho de 2021)