Carmen, natural da Venezuela, confeiteira em Porto Velho

Gastronomia

Carmen

Professora de Ciências Sociais, Carmen tinha mais de uma década de carreira docente na Venezuela quando precisou vir para o Brasil. “Na Venezuela eu tinha casa, profissão, carro, muitas coisas. Depois que o país entrou em crise ficou tudo muito ruim, os salários se tornaram baixos, começamos a passar fome e não pude continuar lá”, relembra.

Mãe de dois filhos, Carmen ficou na cidade de Puerto Cabello com o mais novo, enquanto o esposo e o primogênito vieram para o Brasil. Os dois juntaram dinheiro e, há dois anos e meio, conseguiram trazer Carmen e o filho mais novo.

Ao chegar ao Brasil, Carmen conta que precisou “começar de novo”, e trabalhar em uma área que ela tinha pouco conhecimento, mas que rapidamente virou sua paixão: a gastronomia. Foi através da internet que ela passou a fazer cursos e a estudar mais, primeiro sobre confeitaria, e depois sobre outras áreas. “Dessa forma, os brasileiros e também os venezuelanos passaram a conhecer o meu produto, e fui seguindo adiante, aprendendo cada dia um pouco mais”, relembra.

Atualmente Carmen comanda o empreendimento Venebrasil C.S. O nome, conta ela, é uma homenagem tanto ao seu país de origem quanto ao país que a acolheu. “Tenho uma gratidão muito grande ao Brasil, que me acolheu e me deu a mão”, explica.

A empresária vende diversos produtos, sendo os principais os bolos, que produz por encomenda, e as pizzas, entregue por meio de aplicativos de delivery. Os bolos, segundo Carmen, são pensados para agradar ao paladar dos clientes brasileiros – que gostam de bolos com mais recheio – e também aos clientes venezuelanos – que preferem os doces com mais massa.

As tradicionais pizzas feitas por Carmen ganham um toque venezuelano no tempero e na montagem, que leva mais molho de tomate do que as pizzas normalmente feitas no Brasil.

Além de estar a frente do Venebrasil C.S., Carmen trabalha como voluntária no Cáritas, onde apoia as atividades de um grupo de mulheres migrantes empreendedoras. “A ideia é mostrar para essas mulheres que é possível empreender. Não é fácil, mas é possível”, explica Carmen, sobre o projeto que reúne atualmente 40 mulheres. Quando chegou ao Brasil, Carmen também participou da iniciativa, que diz ter sido fundamental para a abertura e sucesso do seu empreendimento, tanto por meio de capacitação quanto de outras oportunidades, como a participação em feiras.

Mesmo com o empreendimento consolidado e formalizado, Carmen ainda enfrenta desafios: “A maior dificuldade é chegar aos clientes, e conseguir apresentar o produto perfeitamente ajustado ao que as pessoas querem e precisam”, detalha. Para o futuro, a empresária deseja aumentar seu empreendimento, e gerar empregos.

(Texto incluído na plataforma em Maio de 2022)