top of page

Egle, natural da Venezuela, empreendedora em Boa Vista (RR)

Design e Arte

Egle

Egle tomou a difícil decisão de deixar a Venezuela e vir ao Brasil em outubro de 2020, em um dos momentos mais críticos da pandemia. Caminhou por 12 horas, ao lado do filho de nove anos, para conseguir atravessar a fronteira. Ao chegar em Boa Vista, foi morar com o companheiro que já estava em Roraima há dois anos. “Eu trabalhava na Venezuela como funcionária pública, porém, a minha remuneração baixou de tal maneira que só dava para comprar um pacote de arroz no mês. Além disso, não tinha mais educação para meu filho. Tornou-se impossível viver na Venezuela. Eu não podia deixar que meu filho passasse por isso”, conta.

Depois de alguns meses morando em Boa Vista, Egle engravidou de uma menina. Quando ela completou 11 meses, Egle se questionou sobre como poderia auxiliar na renda de casa - o marido trabalha como padeiro e confeiteiro em uma empresa -, mas sem deixar de lado os cuidados com a bebê. Uma sobrinha deu a ideia de desenvolver logotipos e publicidade para empresas divulgarem nas redes sociais. Sem computador, Egle desenvolve as artes em seu celular e envia para os clientes.

Egle produz flyers, panfletos, cartões de visita, convites, cardápios e qualquer tipo de identidade visual digital, além de fazer postagens em redes sociais. Assim que começou o empreendimento, havia uma grande demanda. Porém, percebeu que precisava avançar, principalmente em impressão, para conquistar mais clientes. Diante disso, a empreendedora já planeja os próximos passos para que o negócio se desenvolva. Ela precisa de equipamentos, como computador e impressora, além de programas e ferramentas que a auxiliem na criação dos designs. Assim, poderá ampliar a gama de serviços e oferecer impressão e outros tipos de publicidade.

(Texto incluído na plataforma em Setembro de 2022)

bottom of page