Emma, natural da Venezuela, manicure em Manaus

Cosméticos e Beleza

Emma

Emma chegou ao Brasil em 2017, motivada por uma situação que ela descreve como “insustentável” na Venezuela. “Com a crise eu não tinha dinheiro para ajudar minha mãe a comprar seus remédios, não conseguia comprar comida e meu trabalho não estava bom”, relembra Emma, que trabalhava como manicure e estudava Engenharia Industrial e Segurança Industrial.

Logo que chegou ao Brasil, ela conta que fazia várias viagens de volta à Venezuela, cruzando a fronteira em Roraima. Na mala, levava comida e dinheiro para a família. Um tempo depois, no entanto, ela resolveu se mudar para Manaus, onde trabalhou em diversos salões de beleza. “Era sempre a mesma coisa, em alguns casos os donos me pagavam apenas quando queriam, e outros salões ficavam muito longe de minha casa”, conta Emma, que também teve sua rotina e seu trabalho bastante afetados pela pandemia do Covid-19.

“O trabalho de manicure é um luxo, as pessoas não vão ficar fazendo a unha se estiverem precisando e comida”, explica Emma, sobre a crise econômica decorrente da pandemia.

Em março de 2021, ela decidiu abrir o seu próprio negócio. Emma alugou um ponto comercial perto de sua casa, no bairro de Santa Etelvina (zona norte de Manaus), em parceria com uma cabelereira. As duas pediram um empréstimo a um conhecido e então abriram um pequeno salão de beleza. A sociedade não foi para frente, e atualmente Emma toca o estabelecimento com outro parceiro, um cabelereiro venezuelano.

“No primeiro mês foi mais difícil, mas agora estão chegando mais clientes, e também fizemos muitas promoções”, conta Emma, bastante ativa nas redes sociais. Além das redes sociais, ela aposta na panfletagem para conquistar mais clientes, que estão sempre sendo cativados pelos seus serviços caprichados.

Para 2021, Emma tem muitos planos. Além de abrir um espaço em outro bairro, focado em diferentes perfis de cliente, ela deseja abrir uma loja de produtos para manicures e cabelereiras no seu bairro, de olho em um nicho de mercado. “Sempre que preciso fazer compras, preciso me deslocar uma hora até o centro da cidade. Além do meu empreendimento, quero aumentar a oferta de serviços onde vivo”.

(Texto incluído na plataforma em Junho de 2021)