Joanna, natural da Síria, empreendedora em São Paulo

Gastronomia

Joanna

Foto: ACNUR/Victoria Hugueney

Joanna é empreendedora nata. O gosto pelos negócios está na raiz da família. Seu pai tinha um salão de beleza na Síria, seu país de origem. Um dos tios era gerente de um restaurante e seu irmão era chef de cozinha. Joanna até começou a estudar farmácia, mas o conflito no país e o ímpeto pelo empreendedorismo a fizeram seguir o caminho familiar.

“Sou curiosa e interessada em desenvolver projetos que dialoguem com as realidades que enfrentamos. Acredito que temos muitas soluções que as próprias pessoas refugiadas podem agregar, pois temos conhecimentos e vivências de contextos emergenciais”, disse Joanna, referindo-se aos tempos atuais, de pandemia.

A empreendedora chegou no Brasil em 2015 e começou a atuar como tradutora. Em paralelo criou uma plataforma de comércio online para venda de ingredientes árabes para atender a restaurantes e, na sequência, teve outro projeto selecionado por uma incubadora para ser desenvolvido. O OpenTaste foi então inaugurado. Trata-se de uma proposta que oferecia uma cozinha semi-industrial para que refugiados possam produzir seus pratos e apresentar aos clientes em um restaurante de São Paulo.

“Com a pandemia, o projeto foi adiado mas migramos os conhecimentos dos chefs refugiados para aulas virtuais, no próprio site do OpenTaste. Já tivemos uma aula incrível de panificação e outras transmissões estarão disponíveis, com chefs de diferentes partes do mundo”, afirma Joanna ao tentar superar os desafios da quarentena.
(Texto produzido em Março de 2020)