Maria Gabriela, natural da Venezuela, empreendedora em Boa Vista

Gastronomia

Maria Gabriela

Entre idas e vindas, Maria Gabriela vive no Brasil desde 2017. Na Venezuela, ela estudava Engenharia Civil, mas conta que foi obrigada a deixar seu país por conta das circunstâncias. “Eu já não conseguia me manter, nem estudar. A bolsa que recebia como estudante não era suficiente para comprar comida, e em um momento de desespero vim para o Brasil antes que fechassem a fronteira”, relembra.

Ao chegar sozinha em Boa Vista, ela conta que resolveu fazer brownies para vender na rua. A iniciativa, no entanto, não foi bem-sucedida e desmotivou a jovem, que até então só havia preparado os doces por hobby, na Venezuela. Apesar das dificuldades, dois anos depois ela resolveu tentar novamente.

“Em 2019 eu já pensava em abrir o meu próprio negócio, alugar um local, me organizar melhor e fazer dar certo”, conta ela, que trabalhava como garçonete em dois empregos diferentes. O primeiro local onde Maria Gabriela começou a vender seus brownies foi em uma lan house. Em seguida, um dos restaurantes onde ela trabalhava também se tornou ponto de venda para os deliciosos doces. “Dessa vez o produto teve bastante aceitação, mesmo sendo pouco conhecido no mercado local”, explica. “Logo essas lojas abriram matrizes, então eu passei a vender em mais pontos e também a fazer brownies por encomenda”, conta Maria Gabriela, que conciliava a dupla jornada de emprego com a intensa produção da Brownie BeijaFlor.

A pandemia da Covid-19 foi um golpe forte no pequeno empreendimento, que ainda estava sendo consolidado. Por conta das restrições de circulação e regras sanitárias impostas pelos governos, a maioria dos locais onde Maria Gabriela revendia seus produtos fechou – alguns temporariamente e outros por tempo indeterminado. “Eu me mantive ativa, fiz vários cursos, mas foi difícil de aplicar esse conhecimento na prática”, conta a empresária, que estudou empreendedorismo, marketing digital e também contabilidade.

Com a reabertura e retomada das atividades, Maria Gabriela também vem buscando alternativas e estudando possibilidades para reestruturar o seu empreendimento. Além de capacitações, ela foi beneficiada com um empréstimo do Crédito Pérola, que permitiu que ela investisse em equipamentos, matéria prima e na formalização da empresa. Atualmente, os produtos da Brownie BeijaFlor são vendidos por encomenda – a empresa atende também eventos como aniversários e produz lembrancinhas para datas especiais.

Entre as dificuldades enfrentadas por Maria Gabriela em seu pequeno negócio, a principal delas é na área logística. “Por se tratar de um produto com o preço baixo, muitas vezes a taxa de delivery para um único brownie se mostra mais alta do que o valor do doce. Para vender em massa, eu precisaria ampliar minha rede e reinventar a forma de distribuição em termos mais amplos”, discorre.

Para o futuro, a empresária deseja consolidar seu empreendimento, oferecendo um bom produto e deixando seus clientes sempre satisfeitos. “Além disso, meu foco é criar um negócio que me permita conciliar as atividades de empreendedora com os estudos em Engenharia Civil”, revela Maria Gabriela, que recentemente conseguiu se recolocar na área da Engenharia Civil, e atualmente concilia as atividades da Brownie BeijaFlor com o trabalho de Assistente de Obra.

(Texto incluído na plataforma em Novembro de 2021)