Nelarys, natural da Venezuela, confeiteira em Curitiba

Gastronomia

Nelarys

“Eu não vendo bolos, eu cativo corações”. É assim que Nelarys define seu ofício. Na Venezuela, ela era dona de uma empresa, que fornecia bolos para as melhores confeitarias do estado de Lara, onde vivia. A situação econômica do país, no entanto, começou a inviabilizar as suas atividades. “Com a inflação, o meu produto se tornava cada vez mais caro, o que gerava dificuldades e estresse”, explica Nelarys, que em 2018 se mudou para Manaus.

A chegada no Brasil, conta ela, foi marcada por dificuldades desde a saída da Venezuela. Ela e o então esposo tiveram problemas para trazer o veículo e a mudança da família para o Brasil. “Foi como um parto, um nascimento. Quando alguma coisa vai nascer, tem que doer”, compara.

Em Manaus, ela tentou vender bolos em fatia na rua, mas conta que inicialmente não teve boa aceitação do produto. Levou um tempo até que Nelarys decifrasse os hábitos de consumo dos brasileiros, e a maré virou quando ela passou a oferecer bolos de pote não só na rua mas também também em diversos restaurantes, que se tornaram clientes fieis. Com o sucesso do empreendimento, chamado Nela’s Cakes, Nelarys buscou por treinamentos em diversas organizações – como o Sebrae, por exemplo – para entender melhor qual era o seu foco e seu objetivo, e como tornar seu negócio mais conhecido.

Além disso, a confeiteira investiu em aprender novas técnicas para agradar o paladar do brasileiro e se adaptar ao mercado local. Aqui no Brasil, Nelarys passou a fazer brigadeiros, doce que não conhecia na Venezuela. A pandemia da Covid-19, no entanto, abalou seu empreendimento, e fez com que seu faturamento caísse drasticamente.

Com a queda nas encomendas e o fechamento dos restaurantes, ela passou a produzir cinnamon rolls (rolinhos de canela) e a vender os doces por encomenda, principalmente por Whatsapp. O cardápio da Nela’s Cakes também conta com outras delícias como bolo de leite ninho com morango, oreo trufado, doce de leite com canela e chocolate branco e cupuaçu.

Nelarys foi beneficiada com um empréstimo do Crédito Pérola, que permitiu que ela comprasse equipamentos para o seu negócio. “O programa deles focado em refugiados e migrantes é muito legal, pois os juros são bem em conta e as parcelas ficam baixas. Sou muito grata pela confiança, estou pagando o empréstimo e já pensando em pedir outro, para comprar uma batedeira melhor”, conta.

Em fevereiro de 2021, a empresária se mudou para Curitiba, por acreditar que a capital paranaense pode oferecer melhores perspectivas para seu empreendimento e para sua carreira. Mesmo diante das dificuldades impostas pela pandemia, ela percebe uma ligeira retomada nas encomendas e já faz planos: além de investir em divulgação nas redes sociais, ela pensa em dar cursos onde deve ensinar seus alunos a fazerem delícias como as que ela produz.

(Texto incluído na plataforma em Junho de 2021)