Pitchou Luamba, natural da República Democrática do Congo, chef em São Paulo

Gastronomia

Pitchou Luamba

Foto: Náthalie Guimarães dos Santos

Pitchou chegou ao Brasil em 2010 em busca de proteção internacional devido aos conflitos armados no seu país de origem, a República Democrática do Congo. Formado em direito, ao chegar no Brasil Pitchou atuou como professor de francês e como ator. Em 2014 ele começou a empreender no Brasil e fundou o Congolinária, um restaurante vegano africano em São Paulo.

“Tornei-me empreendedor no segmento de gastronomia porque me identifiquei com o fato de trazer para os pratos que preparo a cultura – e os gostos variados – tão diversa que temos no Congo”.

O serviço de entrega contempla pratos tradicionais, preparados de forma artesanal, como sambusas (uma espécie de esfiha), couve na mwamba (um refogado de couve com pasta de amendoim), pilao (arroz com vegetais e gengibre), pomme soute (batata temperada frita inteira), choux (refogado de repolho) entre outros.

“Como tempero especial, posso dizer que uso as lembranças da minha terra e o fato de sempre querer servir bem a quem tem interesse em saber mais sobre minha cultura”.

Além de ser chef, Pitchou está fazendo mestrado em Relações Internacionais e indica dois ingredientes para que todos possam se sair bem neste momento: perseverança e foco no trabalho.

(Texto produzido em Março de 2020)